45.

Arte poéteca


Bem no fundo da biblioteca
morava horrível poeta mongolóide.
Rimava fungo com resmungo
mofo com estofo
podridão com escuridão.
Guardava seus poemas numa lata velha.
Esquentava a sopa numa lata velha.
Amava, quando amava, uma puta velha.

tapas e beijos |  fonte